terça-feira, 30 de maio de 2017

Shavuot

Shavuot é o segundo dos três maiores Dias Festivos (Pêssach é o primeiro e Sucot o terceiro), e vem exatamente cinqüenta dias após Pêssach. A Torá foi outorgada por D'us ao povo judeu no Monte Sinai há mais de três mil e trezentos anos. Todos os anos, neste dia, renovamos nossa aceitação do presente de D'us.

A palavra Shavuot significa "semanas": assinala a compleição das sete semanas entre Pêssach e Shavuot (o período do ômer), durante o qual o povo judeu preparou-se para a Outorga da Torá. Durante este tempo, purificou-se das cicatrizes da escravidão e tornou-se uma nação sagrada, pronta a entrar em uma aliança eterna com D'us, com a Outorga da Torá.

Shavuot também significa "juramentos". Com a Outorga da Torá, o povo judeu e D'us trocaram juramentos, formando um pacto duradouro de não abandonar um ao outro.

Os Dez Mandamentos
עשרת הדיברות
Quando se menciona Assêret Hadibrot, mais comumente conhecida como os Dez Mandamentos, algumas pessoas possuem uma falsa impressão de que existem Dez Mandamentos que foram separados como sendo os mais importantes da Torá. Mas na verdade a tradução correta de Assêret Hadibrot é "Dez Falas" ou "Dez Ditos", sendo que estes são dez princípios que incluem toda a Torá e seus 613 preceitos, inclusive estes dez.

 As próprias letras de Assêret Hadibrot demonstram este fato. Os Dez Mandamentos são escritos com 620 letras significando que D-us deu no Sinai os Dez Mandamentos que abrangem os 613 preceitos e as sete Leis de Nôach; 613 com 7 somam 620.

 É interessante notar que a soma dos números 6, 1 e 3, de 613 totaliza dez (Mandamentos), mostrando também que as 613 mitsvot incluem os Dez Mandamentos.

 1. Eu sou o Senhor, teu D-us, que te libertou da terra do Egito, da casa da servidão.

 2. Não terás outros deuses diante de minha presença. Não farás para ti imagem esculpida, nem nada semelhante ao que há nos céus acima, ou na terra embaixo, ou na água debaixo da terra. Não te prostrarás diante deles nem os servirás; pois Eu Sou o Senhor, teu D-us – um D-us zeloso, que visita as iniqüidades dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração dos que aborrecem. Mas mostrarei bondade para centrenas de gerações àqueles que Me amarem e cumprirem Meus mandamentos.

 3. Não jurarás pelo nome do Senhor teu D-us em juramento vão; pois D-us não absolverá ninguém que use Seu nome em vão. �

4. Lembra-te do dia de Shabat, para o santificá-lo. Por seis dias deverás trabalhar e cumprir todas tuas tarefas, mas o sétimo dia é Shabat de teu D-us; não deves fazer nenhum trabalho – tu, teu filho, tua filha, teu servo, tua serva, teu animal, e o peregrino que estiver dentro de teus portões – pois em seis dias D-us fez os céus, a terra, o mar e tudo que neles está, e Ele descansou no sétimo dia. Por isso abençoou o dia de Shabat, e o santificou. �

5. Honrarás teu pai e tua mãe, para se prolonguem teus dias sobre a terra. ��

6. Não matarás.

 7. Não adulterarás.

 8. Não furtarás.

 9. Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.

 10. Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo, e seu servo, e sua serva, e seu boi, e seu asno, e tudo que seja teu próximo.

Fonte: pt.chabad.org

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Tefilat HaShelá

Fonte: Compartilhei do senhor Átila Drelich.

Reza dos pais para véspera de Rosh Chodesh Sivan
Hoje, (25/05) – véspera de Rosh Chodesh Sivan* – costuma-se pronunciar esta oração composta pelo Grande Mestre Rabí Yeshaiau HaLevi Horovitz – o Shelá HaKadosh – que deve ser pronunciado pelos pais em favor e mérito de seus filhos.
  Os comentaristas explicam que esta é uma data propícia, pois coincide com o yortsait – data de falecimento de Chaná z”l – de quem aprendemos os principais princípios da oração quando ela foi rezar por um filho e foi atendida por D‑us dando à luz ao profeta Samuel.

* Esta oração pode ser feita a qualquer hora.


Reza dos pais para véspera de Rosh Chodesh Sivan

     Nós temos a obrigação de rezar e de pedir a D'us todas as nossas necessidades porque tudo provém Dele. Por isso, é bom que a pessoa, para qualquer coisa que necessite, em qualquer momento e a qualquer hora, acostume-se a recitar uma reza pequena para depositar a sua carga em D'us e, antes de fazer o que necessite, recite: "Pela Unicidade do Santo, bendito seja Ele, e Sua Divindade. Senhor do Universo! Faz com que o meu caminho tenha êxito, pois tudo provém de Ti". E sobre tudo, a pessoa deve ser diligente na sua reza para ter uma descendência sempre reta e também para que D'us provenha a essa descendência de todas as suas necessidades e de um parceiro. E o meu coração me diz que um momento de graça para recitar esta prece e na véspera de Rosh Chodesh Sivan porque é o mês no qual a Torá foi entregue e, neste momento, fomos chamados de "os filhos do Eterno, o nosso D'us': É apropriado que o marido e a sua esposa jejuem neste dia, despertem o arrependimento e verifiquem que temas da casa, no aspecto religioso, devem ser reparados. Também devem dar caridade a pobres honestos e, se for possível, o marido deve jejuar cumprindo todas as leis de jejum público.

    TU ÉS O ETERNO, o nosso D'us, desde antes de teres criado o Mundo. Tu és o nosso D'us desde que criaste o mundo e Tu serás o nosso D'us sempre. Tu criaste o Teu mundo para que seja conhecida a Tua Divindade através da Tua sagrada Torá, como expressaram os nossos Sábios, de bendita memória, que Tu criaste o mundo pela Tua Torá e pelo povo de Israel, pois eles são o Teu povo e a herança que escolheste dentre todas as nações. Tu lhes entregaste a Tua sagrada Torá e aproximaste-nos do Teu Grande Nome. E para que o mundo exista e a Torá seja observada, recebemos de Ti., Eterno, nosso D'us, dois mandamentos. Escreveste na Tua Torá: "Frutificai-vos e multiplicai-vos" e também "e as ensinarão a seus filhos." E o propósito de ambas é o mesmo, pois Tu não criaste o mundo para que ele estivesse vazio. Ao contrário, para que ele seja habitado e pela Tua honra Tu o criaste, o moldaste e o aperfeiçoaste - para que nós, os nossos descendentes e todos os descendentes do povo de Israel sejamos conhecedores do Teu nome e estudiosos da Tua Torá.

    Portanto, dirijo-me a Ti, ó Eterno, Rei dos reis e derramo a minha súplica diante de Ti. Os meus olhos estarão postos em Ti até que me agracies e escutes a minha prece e me concedas filhos e filhas. E que se frutifiquem e se multipliquem eles e os seus filhos e os filhos dos seus filhos até o final de todas as gerações, com a finalidade de que eles e todos nós nos dediquemos à Tua Torá sagrada para aprender e para ensinar, para observar, para realizar e para cumprir todas as palavras dos ensinamentos da Tua Torá com amor, ilumina os nossos olhos com a Tua Torá e faz com que o nosso coração se apegue às Tuas mitzvot para amar e reverenciar o Teu Nome.
    Nosso Pai, Pai Misericordioso! Concede a todos nós uma vida longa e abençoada. Quem é como Tu, Pai Misericordioso, Que Se lembra das suas criaturas para a vida com misericórdia! Recorda-nos para a vida eterna, como rezou o nosso patriarca Avraham: "Se eu vivesse somente diante de Ti..." e os nossos Sábios interpretaram como "com reverência por Ti".
   Portanto, venho pedir e suplicar diante de Ti que a minha descendência e a descendência da minha descendência seja para sempre reta, e que nunca encontres em mim, na minha descendência ou na descendência da minha descendência nenhum defeito ou imperfeição, mas sim paz e verdade, bondade e retidão nos olhos de D'us e nos olhos do homem. Que os meus filhos sejam letrados em Torá, letrados em Escrituras, letrados em Mishná, letrados em Talmud, letrados em Kabalá, abundantes em mitzvot, abundantes em benevolência, abundantes em boas qualidades, e que Te sirvam com amor e com temor interno - e não com temor superficial. Provê com dignidade a cada um deles as suas necessidades e brinda-os com saúde, honra e força. Concede-lhes boa presença, beleza, graça e favor. E que haja amor, fraternidade e paz entre eles. Faz com que eles encontrem parceiros dignos, provenientes de famílias de estudantes de Torá, de famílias de justos; e que os seus pares sejam como eles, como tudo o que eu solicitei a respeito dos meus filhos, pois uma só petição basta para uns e outros.
    Tu, Eterno, conheces tudo o que está oculto, e diante de Ti são revelados os segredos do meu coração. Pois a minha intenção em tudo isto é para o Teu grande e sagrado Nome e para a Tua sagrada Torá. Por esta razão, responde-me, ó Eterno, responde-me, pelos sagrados patriarcas Avraham, Itzchak e Iaacov. Por causa deles, salva aos filhos, para que os ramos se pareçam com as suas raízes. Por David, Teu servo, que é a quarta roda da Tua Carroça, e que canta com inspiração Divina:

    Shir Lamaalot. Feliz é aquele que teme ao Eterno, aquele que anda pelos Seus caminhos. Se comeres do esforço das tuas mãos, serás feliz e será bom para ti. A tua esposa será como um vinhedo frutífero nos recantos do teu lar. Os teus filhos serão como brotos de oliva ao redor da tua mesa. Eis que assim será abençoado o homem que teme o Eterno. Que o Eterno te bendiga de Tzion, e que vejas o bem de Jerusalém todos os dias da tua vida. E que vejas os filhos dos teus filhos, paz sobre o povo de Israel.

     Por favor, Eterno, Que escuta as preces! Que em mim se cumpra o versículo: "E Eu, este é o Meu pacto com eles', disse o Eterno: 'O Meu espírito que se está sobre ti e as Minhas palavras que pus na tua boca, não serão retiradas da tua boca, nem da boca da tua descendência, nem da boca da descendência da tua descendência - disse o Eterno - desde agora e para sempre:" Que sejam recebidas as palavras da minha boca e os pensamentos do meu coração diante de Ti, Eterno, meu Feitor e meu Redentor.

Traduzido por Rab. Motl Malowany
Compartilhado de meu amigo Daniel Enkin
יד

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Aparentemente feliz.

Muitas pessoas erroneamente pensam que ser famoso as  fará automaticamente feliz.

A felicidade depende do que se passa em sua mente e não o que acontece "lá fora". Portanto, se você está pensando pensamentos negativos, procurando defeitos em outros, reclamando e coisas parecidas, você vai ficar triste, mesmo se todo mundo está falando sobre o quão grande você é. Por outro lado, se você pensar pensamentos positivos, você vai se sentir bem, mesmo que ninguém lhe dá honra.

A felicidade depende de seus pensamentos e não do que as outras pessoas dizem sobre você, a menos que você diga a si mesmo que não pode ser feliz sem a aprovação e honra dos outros. Mas quando tal é o caso, o principal problema não é que outros não lhe dão honra, mas que você diga a si mesmo que é horrível que outras pessoas não lhe dão a honra que você exige arbitrariamente.

Baseado nos livros de Rabino Zelig Pliskin.

Rabino Reuven Segal

Compaixão

Este me fez chorar.

Certa vez, um carneiro que era levado para o matadouro escapou e se escondeu debaixo das vestes de Rabbi Yehuda, que exclamou: Vá, pois foste criado para isso.
Então, uma voz vinda dos céus sentenciou: "Já que não tem compaixão por minhas criaturas, também não haverá para ti." Desde aquele dia, seu corpo se cobriu de chagas.
Certo dia, sua empregada estava limpando a casa e em um canto encontrou a cria de uma doninha. A mulher já estava disposta a varrer o filhote, quando escutou a voz de Rabbi Yehuda dizer: Pobrezinho, deixe-o ficar.
Então, escutou-se uma voz vinda dos céus: Tú tens compaixão por minhas criaturas e, por isso, mereces a mesma compaixão. Desde aquele dia se curou por completo.
(Tratado Bava Metzía)
Atila Drelich.

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Na Última Fila.

Em uma reunião de vizinhos, os Rabinos se sentaram na primeira fila. Rabbi Nachum ben Itzchak, chegou uns minutos mais tarde e se sentou na última fila. Um dos Rabinos ao vê-lo, chamou-lhe para que se sentasse ao lado deles, uma vez que uma pessoa como ele não deveria se sentar ali.
Rabbi Nachum respondeu:
Agradeço o convite, seria uma grande honra sentar-me com vocês, porém, estou contente com este lugar. Depois de tudo, ainda não aprendeste que não é o lugar que proporciona honra a pessoa, mas que é a pessoa que confere honra ao lugar?
Desta maneira, Rabbi Nachum ratificava o que requeria: A humildade é o que afirma a grandeza.
(Tratado Taanit 7a)
Atila Drelich

terça-feira, 18 de abril de 2017

O orgulho


"David foi ao barbeiro para cortar o cabelo, como sempre fazia todo mês. Ele começou a conversar com o barbeiro sobre vários assuntos. A conversa então tomou um rumo mais espiritual e eles começaram a falar sobre D'us. Enquanto David era uma pessoa de imensa Emuná (fé) em D'us, o barbeiro era um ateu convicto. O barbeiro disse:

- Eu não preciso deste seu D'us para nada. Através do meu esforço eu consigo garantir meu sustento e manter minha família e minha saúde. Além disso, eu não acredito que seu D'us realmente exista. Você só precisa sair na rua para ver que D'us não existe. Se D'us existisse, você acha que haveria tantas pessoas doentes? Haveria crianças abandonadas? Haveria dor e sofrimento? Eu não consigo imaginar um D'us que permite todas essas coisas.

David não quis dar imediatamente uma resposta, para evitar uma discussão mais acalorada. Quando o barbeiro terminou o corte e David se preparava para sair, passou na rua um homem com barba e cabelos longos. Ele tinha uma aparência péssima, parecia que não cortava o cabelo ou fazia a barba há um bom tempo. Então David disse ao barbeiro:

- Sabe de uma coisa, acho que são os barbeiros que não existem.

- Como assim os barbeiros não existem? - perguntou o barbeiro - Eu estou aqui e sou um barbeiro!!!

- Não! - afirmou David - Os barbeiros não existem, porque se existissem, não haveria pessoas com barba e cabelos tão longos como aquele homem que está andando ali na rua. Veja, que homem de aparência horrível! Se os barbeiros existissem, eles permitiriam uma pessoa andar pela rua desta maneira?

- Que argumento mais tolo - disse o barbeiro para David - é óbvio que barbeiros existem, mas há pessoas não procuram os barbeiros. Isto é uma opção delas. Se a pessoa quer ficar com a aparência desleixada como este jovem que passou na rua, isto é uma escolha dela, não tem nada a ver com a existência dos barbeiros.

- Que seus ouvidos escutem o que diz a sua boca! - respondeu David - Suas palavras são a resposta ao seu questionamento. D'us existe, mas há muitas pessoas não O procuram, por opção delas. Pessoas como você, que acham que tem tudo na vida por seu próprio esforço e mérito. E é justamente por isso que há tanta dor e sofrimento no mundo.
 Fonte: Blog do Rav Efraim Birbojm

segunda-feira, 17 de abril de 2017

O pequeno colibri.

Você conhece a história do Colibri?

Eis a história: Um dia, um grande incêndio ameaçou destruir a floresta. Todos os animais, exceto o pequeno colibri, ficaram apavorados, desesperados com o desastre. Porém, o pequeno Colibri não se rendeu e corajosamente ele pegava algumas gotas com seu biquinho e jogava uma por uma sobre o fogo.

Depois de algum tempo, sem ver nenhuma mudança e irritado com essa agitação insignificante, o Tatu disse a ele:  “Você está louco, pequeno Colibri? Você sabe que jamais poderá apagar o fogo com algumas gotas de água!”.


E o pequeno Colibri disse: “Eu sei. Mas estou fazendo a minha parte!”.

Pois se as gotas de água fazem os oceanos, as mesmas gotas poderiam enfrentar o incêndio! Quem acredita e honra a vida, jamais deve ficar de braços cruzados assistindo impotente o desastre, venha de onde vier. Mas deve, ao contrário, fazer sua parte, por mais modesta que seja, combater os incêndios da mente e escapar das manobras daqueles que desejam prejudicar a Terra!

Essa lenda revisitada por muitos contadores de histórias do mundo todo é um estímulo para todos que acreditam no poder da vida. Porque nada jamais está perdido e enquanto há vida há esperança.

domingo, 16 de abril de 2017

Me vendo por dentro.

Aprendi a me olhar todos os dias e a buscar dentro de mim o que ninguém por mais que tenha tentado nunca encontrou,
meu próprio valor. D'us me fez perfeita
aos olhos dele, com uma capacidade incrível
de sonhar e uma sensibilidade linda de amar.
Embora eu seja tão falha, tão inconsequente
as vezes , sinto ele do meu lado, me cuidando, me guardando, me protegendo, me exortando,
me ensinando e acima de tudo me amando.
Confesso que as vezes tropeço, mas não me justifico de maneira alguma, porque sei que na
maioria das vezes sou culpada. Mas procuro a cada dia ser como ele quer , andar nos caminhos que
ele desenhou para mim e se algum dia eu me desviar dele, que ele me quebre como um vaso totalmente
seu e me faça de novo, e de novo e quantas vezes
for necessário até que em mim não haja trincas. Por que sou falha.