terça-feira, 21 de dezembro de 2010

MEDITANDO SOBRE O TSEDACÁ -

                                            [O que é o Tsedacá]

            Tsedacá é um dos 613 preceitos dados

           por D'us no Monte Sinai ao povo judeu.
           A palavra tsedacá possui sua raiz na palavra 
          hebraica tsedec, que significa integridade, justiça,
          a coisa certa a fazer. D'us permitiu que existissem 
         pobres e ricos para que os seres humanos exercessem
        bondade e justiça uns com os outros transformando 
         seu livre arbítrio em ações positivas.
        O dinheiro não pertence realmente a você, que 
        está obrigado a distribuí-lo.
         A pessoa deve fazer caridade de acordo com
       as suas posses.
      Em geral, deve-se dar sempre 10% da própria renda. 

       Até um pobre deve fazer caridade.
      Desde a época do Templo Sagrado era visível para os 

     judeus que levavam seus sacrifícios, que não importava 
      qual fosse, tanto um sacrifício representado por um 
      animal de porte como um boi, uma ovelha, até uma
      certa quantidade de farinha, 
      (dependia da posse de cada um),
     ambos eram aceitos e queridos por D'us. Assim,
     a pequena doação de um pobre equivale para 
     D'us como a maior doação de um rico.
     Aprendemos de nosso patriarca Avraham
     o dom da generosidade.
      Assim como sua tenda possuía quatro aberturas 
     que davam para as quatro direções do deserto a fim 
     de visualizar qualquer estrangeiro que passasse 
     próximo ao seu caminho para convidá-lo a usufruir
     de sua hospitalidade, da mesma forma, devemos ser
     reconhecidos como seus legítimos descendentes:
     estender a mão para quem se encontra em nosso 
     caminho e sempre procurar ajudar nosso semelhante.
     Há um versículo que diz: "Não endureça seu coração
     e estenda sua mão ao seu irmão necessitado".
    Devemos sempre nos colocar em seu lugar, pois da
    mesma forma que nos dirigimos humildemente ao 
     Criador em busca de bênçãos de saúde, alegrias 
     materiais e espirituais, somos carentes, ocupamos
     a mesma posição daquele que se encontra diante 
     de nós e pede para que estendamos nossa mão.
     Devemos pensar que através das gerações poderemos
     também ter descendentes que um dia necessitem 
     da ajuda de outros e portanto, nos sensibilizar
     que cada um de nós poderia estar em seu lugar.
     Devemos pensar que não nos encontramos em 
     sua situação para que através de nossa ajuda 
     possamos lhe fornecer mais conforto e dignidade, 
     sendo justo com os bens que recebemos de D'us,
       para usá-lo da maneira que Ele espera que façamos.
      Nossos bens é como um penhor que um dia deveremos 
      devolver e restituir ao seu legítimo Dono
     É costume se ter um pushke (caixa de tsedacá) em todo lar
      judaico, e a família é encorajada e dar tsedacá diariamente,    
     e especialmente antes de rezar e as mulheres acrescentam a 
     isto o hábito de fazer tsedacá antes do acendimento das
     velas de Shabat e Yom Tov. A pessoa nunca deve
    recusar um pedido de tsedacá. A tsedacá deve ser 
    dada de bom coração, o rosto sorridente e mão aberta.
    D'us retribui cada pouquinho de tsedacá que a pessoa faz.
    Os rabinos nos dizem que se você quer ficar rico, deve
    dar muita tsedacá.
    A tsedacá deve, de preferência, ser dada de maneira
    anônima, i.e., sem ninguém saber
   [a menos que você deseje dar um exemplo aos outros]
    A tsedacá aproxima a vinda de Mashiach.

Nenhum comentário:

Postar um comentário