terça-feira, 28 de maio de 2013

A SABEDORIA NOS AFASTA DO MAL

- A mentalidade mundana e pecaminosa não considera o outro, não vê no ser humano a imagem e semelhança de Deus, um semelhante, alguém que merece ser reconhecido como “coroa da criação terrena” (Sl.8:5), mas meramente alguém que pode servir de meio para a sua própria prevalência, para o seu próprio engrandecimento.

- O caminho de um filho de D’us jamais é o mesmo caminho dos pecadores. Temos um caminho diferente (Pv.1:15), um caminho que nos leva à salvação (Mt.7:13,14).

- Os que enveredam pelo caminho da perdição armam ciladas para si mesmos (Pv.1:18,19).

- A suprema sabedoria “altissonantemente clama de fora”, “pelas ruas clama a sua voz”, ou seja, há um desejo divino para que sejamos instruídos por Ele.

- O Senhor vem ao nosso encontro com este propósito de nos levar para uma vida de comunhão com Ele, para que vençamos o pecado e o mal. Por isso, vem clamar para deixemos a nossa ignorância espiritual, a nossa “simplicidade”, a nossa “loucura” (Pv.1:22) e mudemos a direção dos nossos caminhos, convertendo-nos pela repreensão divina, a fim de que, recebendo o derramamento do Espírito, possamos entender as Suas palavras (Pv.1:23).

- Grande parte dos homens não dá ouvidos ao Senhor, recusando o clamor divino, não dando atenção à mão estendida do Senhor (Pv.1:24), rejeitando o conselho e não querendo a repreensão do Senhor (Pv.1:25).

- O resultado desta recusa será a perdição, o tormento, o aperto e a angústia, da qual não poderão os homens escapar, mesmo que clamem a Deus, pois aí será tarde demais (Pv.1:26-32

Nenhum comentário:

Postar um comentário