terça-feira, 21 de maio de 2013

Sentimentos

SILENCIO DE UM AMOR


O frio se fazia intenso, e o vento
era como uma cortina de gelo
se contorcendo, congelando ainda mais o seu corpo
que clamava pelo calor do corpo dele.

A noite caminhava, pelas longínquas estrelas do céu,
indiferente aos olhos que as fitavam.
Ela mais do que nunca, sentiu a solidão que a esmagava,
E o frio que vinha de sua alma, era cortante,
a deixava entorpecida.

Agora sabia que o amor quando se vai
deixa um vazio que nada preenche.
Chamou por ele, não houve resposta.
Nunca mais o teria. E ela chorou, deixou-se doer,
desfez-se em versos tristes, e virou poesia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário