quarta-feira, 19 de junho de 2013

Os esquecidos



Estamos no mundo dos esquecidos

E perdidos dentro de sua memória

Você está se arrastando, seu coração foi partido

Porque todos nós sucumbimos na história

Onde foi parar o tempo no mundo?

É onde seu espírito parece ter ido vaguear

Como perder fé em nosso abandono

Ou um corredor vazio de um lar despedaçado

Não desvie os olhos

Dos braços de um sonho ruim

Não desvie os olhos

Às vezes você está melhor perdido do que quando visto

Eu não me sinto estranho, e sim mais como assombrado

Outro momento preso no tempo

Eu não consigo explicar direito

Mas é como uma criança que foi deixada para trás

Então, estamos no mundo dos esquecidos

Como soldados de uma longa guerra há muito perdida

Nós compartilhamos as cicatrizes do nosso abandono

E o que lembramos se torna folclore

Bem, não desvie os olhos

Dos braços de um sonho ruim

Não desvie os olhos

Às vezes você está melhor perdido do que quando visto

Não desvie os olhos

Dos braços de um momento

Não desvie os olhos

Dos braços do amanhã

Não desvie os olhos

Dos braços de um momento

Não desvie os olhos

Dos braços do amor

Não desvie os olhos

Dos braços de um sonho ruim

Não desvie os olhos

Às vezes você está melhor perdido do que quando visto

Não desvie os olhos

Dos braços de um momento

Não desvie os olhos

Dos braços do amanhã

Não desvie os olhos

Dos braços de um momento

Não desvie os olhos

Nenhum comentário:

Postar um comentário