quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Um judeu bom, e cuidadoso da lei, é reconhecido em qualquer lugar.

Por Malka Touger.

Adam falou para seu amigo:

 “Está vendo aquele homem, eu me lembro dele sem a barba comprida.”


“É mesmo,” disse Rafi, “ele costumava nos ajudar na Escola Hebraica.”

“Uau, ele parece tão inteligente,” acrescentou Adam.

Rafi disse; “Isso me fez lembrar de algo que ele nos ensinou na Escola Hebraica. Quando os irmãos de Yossef foram até ele no palácio do faraó, ele os reconheceu mas eles não o reconheceram. Ele explicou que quando o venderam como escravo ele era adolescente. Agora ele tinha uma barba crescida que o deixava muito diferente.”

“A barba deixa a pessoa muito diferente,” concordou Adam. Ele pensou por um instante. “Mesmo assim, estou surpreso por ele ter mudado tanto que os irmãos de Yossef não o reconheceram, mesmo depois de falar com ele várias vezes. Até quando Yehuda argumentou para salvar Binyamin, ele não pensou que estava falando com Yossef.”

“Lembro que ele nos disse,” explicou Rafi, “que era difícil reconhecer aquele homem por causa da barba, mas ainda descobrimos. Porém, quando os irmãos foram ao Egito e viram um governador que estava dando alimentos a todas as pessoas famintas e que dirigia os assuntos econômicos do país, jamais ocorreu a eles que aquele poderia ser Yossef. Eles pensaram que Yossef estaria preocupado apenas com coisas espirituais, jamais poderiam imaginar que ele se envolvesse com negócios. Foi por isso que não o reconheceram.

“Porém, Yossef era muito mais instruído que seus irmãos. Yaacov tinha lhe ensinado toda a Torá que sabia. Isso ajudou Yossef a viver como um bom judeu embora morasse entre pessoas que estavam afastadas de D’us e eram perversas. Mesmo quando ele estava envolvido em compra e venda, sabia que ser justo e seguir os caminhos de D’us é o mais valioso.

Essa é uma lição para nós, disse Adam. “D’us deseja que um judeu se envolva nesse mundo, e que o transforme num local onde a presença Divina seja sentida. Devemos seguir o exemplo de Yossef. Mesmo quando Yossef estava envolvido em assuntos de negócios, sua vida não estava separada de D’us e da Torá.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário