quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

MÊS DE ADAR – SIGNO DE PEIXES

Adar corresponde ao signo de peixes no calendário cabalista e tem a mesma raiz da palavra força em hebraico, sendo um signo intenso. Por ser o último signo da roda astrológica, Peixes revela a totalidade (completude), representando uma energia de manifestação (Malchut). 
Júpiter e Netuno são os regentes de Adar. Júpiter é o maior planeta da sistema solar e está ligado à abundância, à justiça, à misericórdia, ao desejo de compartilhar, à expansão. É associado a todas as características positivas que nos trazem sucesso no que quer que façamos. Isto explica porque os meses governados por Júpiter (Peixes e Sagitário) contêm aberturas para milagres. O Milagre é a capacidade de romper com os padrões impostos pelo mundo das limitações, mesmo nas situações aparentemente sem saída.
O outro planeta regente de Peixes, Netuno, não possui fronteiras nem limites, já que é rodeado por gases. Controla a intuição, a imaginação, a criatividade e a arte. A combinação de Júpiter e Netuno desperta uma grande sensibilidade emocional e gera expansão do receptor metafísico. Entretanto, um dos aspectos negativos de Peixes é a tendência à ilusão.
As letras que representam as energias do mês de Adar são Guimel e Kuf. Guimel desperta o desejo de compartilhar com o cuidado para não impor ao outro o que nosso ego acha que é bom para ele. É a energia que vai impregnar o ser humano do desejo de atuar sobre o Mundo como mantenedor.
Guimel escreve-se da mesma forma que gamal, que traduzimos como camelo. Um animal que tem pode passar dias sem beber água, trazendo dentro de si uma fonte interna de alimentação. O Guimel nos remete a idéia de que temos dentro de nós os recursos que precisamos para a caminhada no deserto. Esta riqueza interior tem a capacidade de compensar as faltas e de reequilibrar as forças do desejo de receber e de compartilhar. No espaço, Guimel é Júpiter e seu valor numérico é três (3). Este número é um símbolo de equilíbrio, estabilidade (três colunas da Árvore da Vida) e também de multiplicação - Júpiter expande e aumenta tudo.
Kuf é a letra do alfabeto que mais desce. Fazendo a ponte da percepção entre as duas realidades, unindo o mundo físico e espiritual. Geralmente imaginamos que essas duas realidades estão separadas por “muros”, mas na verdade, elas coabitam (dois peixes nadando em direção opostas).
Kuf em aramaico significa o buraco de uma agulha. “Abra para mim o buraco de uma agulha e Eu abrirei para ti os portões da eternidade”. O simbolismo do “fundo da agulha” nos remete à reunificação das forças para atravessarmos portas estreitas. Também significa que muitas vezes uma pequena conexão espiritual é suficiente para gerar uma gigantesca “invasão” de Luz espiritual no Mundo físico.
O aspecto negativo do Kuf é a vergonha das fraquezas ou projetar fraquezas e inseguranças nos outros, não assumindo a responsabilidade por elas. O senso de vitimização.
No dia 14 de Adar (anoitecer de 4 de março) temos a festa de Purim. A festividade de Purim acontece na lua cheia do signo de peixes e seu nome origina-se da palavra “pur”, uma palavra persa que significa “tirar sortes”.
PURIM
A Meguilat Esther é o livro da Torá que relata a história de Purim, que acontece na lua cheia do mês de Adar. O nome da festa (Purim) origina-se de “pur”, uma palavra persa que significa “tirar sorte”.
Consta do livro de Ester que Haman, conselheiro do Rei da Babilônia, decretou a saída e morte de todos os hebreus da Pérsia e escolheu a data através de um sorteio. Quando tudo estava aparentemente perdido, Esther que era segunda esposa do Rei e também era judia, conseguiu inverter este decreto negativo e Haman termina sendo enforcado.
A decisão de Haman de fazer um sorteio para escolher aleatoriamente a data em que aniquilaria os judeus tem um significado. Um sorteio representa o acaso, a sorte; a ausência de decisão e de ordem - simboliza o caos. E no lugar aonde não há ordem, nem distinção entre o certo e o errado, a negatividade só tende a florescer.
Purim é um período de superação contra toda a negatividade, representa a vitória do bem contra o mal. A inversão das forças negativas em positivas motivando um momento de intensa alegria. Muitos chamam este período de carnaval cabalístico, onde as pessoas se fantasiam, bebem e comem alegremente, após o período das conexões. A fantasia representa nosso corpo físico, pois tudo o que acreditamos ser é ilusão e nossa essência é espiritual e conectada com a plenitude. Simboliza o entendimento de que todo sofrimento exterior também é uma ilusão e que este Eu Verdadeiro pode afastar toda negatividade. A ALEGRIA é a conexão que ativa a energia de Purim, para nos conectar com a energia do milagre e remover o caos de nossas vidas.
CHODESH TOV!
MUITA LUZ E ALEGRIA PARA TODOS!

Nenhum comentário:

Postar um comentário