sábado, 28 de março de 2015

Definição judaica de amor. (Revista Morashá.)

O amor, segundo o judaísmo, é medido pelo que queremos fazer por outra pessoa – quão disponíveis somos, quanto de nós estamos dispostos a dar e a sacrificar. O casamento significa abrir espaço dentro de si próprio para deixar o outro entrar. Mas quando a pessoa ama a si mesmo em demasia – quando ela deseja estar apenas consigo mesma – ela não pode esperar que seu casamento dê certo. É o amor o que abre espaço para o outro ser parte de nossa vida. O verdadeiro amor não é egoísta; pelo contrário, ele se manifesta quando a pessoa se esquece de si – esquece aquilo que quer ou que a incomoda – e pensa no outro.
"Por isso as vezes até podemos nos deixar trair pela ansiedade... as vezes podemos até nos deixar pelo egoismo .... mas sempre devemos nos inclinar a pessoa amanda ... e esperar o tempo dela... e só assim viver um grande amor. "

A Torá nos ensina que os casamentos são “combinados” nos Céus. Diz o Talmud (no tratado Sotá 2a): “Quarenta dias antes da concepção é decretado nos Céus que a filha desta pessoa está prometida ao filho daquela outra”.
Fonte: Revista Morashá.

Luiz Gomes Hohenzoller.

Nenhum comentário:

Postar um comentário