terça-feira, 5 de maio de 2015

O israelita não ama pra casar, mas, casa para amar?

Como é isso?
O casamento é uma parceria de idéias, onde um preenche os pensamentos do outro. São duas realidades diferentes que si misturam. O homem governa a mulher, a mulher conduz o homem. PERFEIÇÃO, o melhor das duas partes para um só cominho, a felicidade.
No casamento israelita, dias antes da cerimônia, é costume o noivo ser chamado à ler Torah, e a noiva faz imersão no mikveh.
Isso demonstra a diferença do masculino e do feminino, opostos que si completam, ler a Torah e realizar um banho ritual, são atos muito diferentes. Homens são diferentes de mulheres, mas, si conectam, pois, ler a Torah é uma pratica que governa o homem a ir mikvah, realizar a mikveh conduz a mulher a Torah.
O homem é responsável pelo governo do casamento, a mostrar o caminho – a Torah.
A mulher é a vitalidade da união, a inspiração, imerge às águas da vida.
Ler a Torah é uma ação intelectual uma teoria – uma leitura.
A Mikvah é uma ação prática – uma imersão. O homem si liga ao místico, a alma, a fonte da espiritualidade; a mulher, à fonte da realidade, da vida.
Unir homem e mulher – dois seres tão diferentes como teoria e prática, céu e terra, mente e coração.
O homem é o cabeça da mulher, a mulher é o coração do homem.
Josenvert Gedeoli

Nenhum comentário:

Postar um comentário