sexta-feira, 21 de agosto de 2015

honrar a esposa.

No judaismo, a mulher é de grande valor, e é mandamento honrar a esposa. Dependendo da condição financeira, é costume o marido presentear a mulher em dias festivos; é bom o homem ajudar a mulher com as tarefas domésticas e cuidado com as crianças quando possível. Esses são alguns exemplos que na vida cotidiana a mulher não é reprimida, mas sim cuidada, protegida e amada. 
Na espiritualidade não é diferente! Contrário ao que muitos pensam (que a mulher é espiritualmente inferior ao homem), a mulher possui espiritualidade mais elevada que o homem, e portanto está isenta de certos mandamentoa (tais como tsitsit, tefilin, etc), pois sua ligação com sua Fonte Suprema é nata, e por isso deve se fortalecer em sua tefilá pedindo pelo bem estar de sua família, especialmente no acendidento das velas de shabat.
Por ter a espiritualidade elevada, a mulher é bastante cobrada no quesito discrição, devendo portar-se com dignidade e decência, evitando a autoprofanação.
No Tanach e Talmud encontramos diversos relatos de mulheres fortes e eruditas que, embora desempenhassem certas funcões, não sufocaram a femininidade. Como Deborá (Juízes 4) que, mesmo sendo juíza, profetiza e guereira, não abriu mão de se casar. Também temos grandes profetizas, como Miryam, Sarah (nossa matriarca) e Huldá (uma das entradas do Templo foi nomeada em homenaegm a esta profetiza, os portões de Huldá); no talmud encontramos Beruriah, de quem se fala que ela conseguia compreender centenas de halachot.
O fato de não haverem "rabinas" e "mestras" de Torá vem do fato de que tais atividades exigem muito tempo de quem as faz; se mulheres se ocuparem de tais atividades, acabarão negligenciando os mandamentos pertinentes à mulher e suas obrigações concernente ao cuidado com a família. Tanto o homem como a mulher possuem suas obrigações inalienáveis e foram feitos de forma a cumprirem tais obrigações - se o homem abandona suas obrigações para fazer as atividades que não lhe competem e/ou a mulher abandona suas obrigações para fazer as obrigações masculinas, acabam por se prejudicar, não conseguindo se desenvolver e revelar a centelha Divina que lhe caberia revelar.
Desejo a todos um Shabat repleto de simcha e berachot

Nenhum comentário:

Postar um comentário