sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Em cada geração, uma cura é necessária.



Vivemos como nos dias de Abraão, onde havia um adormecimento, porém talvez muito pior do que naquela época, pois hoje ele é gerado pela necessidade do excesso.
Para mim, o necessário é o suficiente e, por meio deste, eu encontrei a cura.
Quando tudo vale a pena? Quando D'us nos recitar um hino de gratidão e então, damos significado a existência.
"O Midrash Shocher Tov interpreta o Salmo 110 como um hino de gratidão que D'us recitou para Abraão. D'us fala a Abraão e o chama "Meu mestre!". O Midrash explica: Rabi Reuven disse que as nações estavam num adormecimento que as impedia de se colocarem sob as asas da Presença de D'us. Quem as despertou para vir? Abraão! O conceito de benevolência também estava adormecido e Abraão o despertou, pois ele abriu uma pousada e convidou os passantes a partilharem sua mesa.
O próprio D'us estava em débito com Abraão, porque até Abraão proclamar D'us como Senhor, o propósito da Criação tinha sido frustrado. D'us criou o universo de modo que o homem pudesse percebê-lo e apreciar Suas obras. Até a época de Abraão, no entanto, o mundo falhou em alcançar este propósito, porque os homens estavam esquecidos de D'us. Ensinando o mundo a reconhecer D'us, Abraão deu significado à existência."
"D'us também chamou Abraão "Meu mestre", porque Abraão tinha presenteado D'us com um presente que Ele, a despeito de Seu poder infinito, não podia moldar para Si mesmo. Porque o homem é uma criatura de livre-arbítrio e D'us não pode garantir que o homem escolherá o bem sobre o mal e a verdade sobre a falsidade."
"A missão de Abraão foi continuada por David e será completada pelo Mashiach."
 Trecho retirado do livro: 'Tehilim Ner Yossef'  - O Livro dos Salmos

Nenhum comentário:

Postar um comentário