quarta-feira, 30 de março de 2016

ORAÇÃO JUDAÍCA.

D'us não consintas que eu seja o carrasco que sangra as ovelhas, nem uma ovelha nas mãos dos algozes.
Ajuda-me a dizer sempre a verdade na presença dos fortes e jamais dizer mentiras para ganhar os aplausos dos fracos.
Meu D'us!
Se me deres a fortuna, não me tires a felicidade;
se me deres a força, não me tires a sensatez;
se me for dado prosperar, não permitas que eu perca a modéstia,
conservando apenas o orgulho da dignidade.


Shalom Shalom

Conto Judaico.

Um dia, a Verdade andava visitando os homens sem roupas e sem adornos, tão
nua como o seu nome. E todos que a viam viravam-lhe as costas de vergonha
ou de medo e ninguém lhe dava as boas vindas.
Assim, a Verdade percorria os confins da Terra, rejeitada e desprezada.
Uma tarde, muito desconsolada e triste, encontrou a Parábola, que passeava alegremente, num traje belo e muito colorido.
– Verdade, por que estás tão abatida? – perguntou a Parábola.
– Porque devo ser muito feia já que os homens me evitam tanto!
– Que disparate! – riu a Parábola – não é por isso que os homens te evitam.
Toma, veste algumas das minhas roupas e vê o que acontece.
Então a Verdade pôs algumas das lindas vestes da Parábola e, de repente,
por toda à parte onde passa era bem-vinda.
– Pois os homens não gostam de encarar a Verdade nua; eles a preferem disfarçada.

(Conto Judaico)

sexta-feira, 25 de março de 2016

O lar é o núcleo da vida judaica,

Pergunta:
Se uma pessoa tem um caso com uma pessoa casada e esta resulta numa gravidez e um deles, para preservar seu casamento, deseja optar pelo aborto, como fica esta situação perante o judaísmo?

Resposta:
Segundo o judaísmo, o aborto não é uma opção. A não ser em casos extremos e raros, como doenças ou perigo de vida para a mãe, onde um rabino sempre deverá ser consultado, não se permite o aborto em nenhuma instância. Isto porque o feto já é considerado um ser vivo, que possui alma. Impedir um aborto é equivalente a salvar uma vida. O fato da criança estar ainda na barriga da mãe em nada altera a proibição de tirarem-lhe a vida.

Uma criança que foi concebida fora do casamento é considerada um mamzer, ou bastardo. No que se refere à relação dos pais com o filho nascido fora do casamento, não há diferença nenhuma: eles têm a mesma obrigação de cuidar dele e zelar por seu bem como para qualquer filho.
No entanto, um filho mamzer, ou bastardo, encontrará dificuldades em sua vida. De acordo com o judaísmo, a relação fora do casamento deve ser algo impensável. O lar é o núcleo da vida judaica, e deve ser permeado por lealdade e amor. Um filho nascido de uma relação extra-matrimonial carrega a marca das circunstâncias nas quais foi gerado. O mamzer possui restrições quanto a pessoas com quem poderá casar.
Cabe aos adultos o dever de manterem-se fiéis e honestos dentro do seu casamento, não só pela obrigação religiosa e moral, mas inclusive pelo dever de zelar pelo destino de uma criança para que não seja concebida, fruto de uma relação ilícita.
Fonte: Chabad.org. 

Seja sincero

Não diga uma coisa e faça outra. Exteriorize o que realmente pensa o seu coração. Seus lábios dirão sempre a verdade e seu espírito será reto. Mostrar a alguém, por exemplo, mais afeição do que realmente você sente é uma lisonja hipócrita.
Três palavras sustentam a vida neste mundo: verdade, justiça e paz. Por outras três você é descartado deste mundo: idolatria, relações sexuais proibidas e assassinato, sendo a maledicência a pior de todas.


Fonte: Kolel Rio - Ética diária

quinta-feira, 24 de março de 2016

Purim

"Então Mordechaí saiu da presença do rei, trajando roupas reais, azul celeste e branco, com uma grande coroa de ouro e um manto de linho fino e púrpura. E a cidade de Shushan o aclamava jubilosamente" (Meguilat Ester 8:15)

"Os judeus instituíram e estabeleceram para eles... e para a posteridade, a obrigação de celebrar, a cada ano, estes dois dias..." (Meguilat Ester 10:27)

O rei Achashverosh tinha boas razões para se orgulhar de Ester. Soube agora que ela descendia da família real de Saul, o primeiro rei dos judeus. Quando descobriu que Mordechai era também descendente desta nobre família e primo de Ester, nomeou-o sucessor de Haman.

O rei presenteou Ester com a casa de Haman, e deu a Mordechai o anel real que havia retomado de Haman. Apesar de Mordechai e Ester estarem profundamente agradecidos ao rei pelos seus favores e segurança que sentiam sob a sua proteção, não perdiam tempo em alcançar seu verdadeiro objetivo. O cruel decreto de Haman ainda estava em vigor e se não fosse revogado, os judeus estariam perdidos.

Assim Ester intercedeu novamente perante o rei em favor dos seus irmãos condenados a morrer. Atirando-se ao chão e com os olhos cheios de lágrimas, suplicou ao rei para salvá-los do terrível destino que os aguardava e bradou com uma voz angustiada: "Como poderia eu assistir inerte ao massacre dos meus irmãos?"

0 rei, profundamente tocado, gostaria de poder livrá-la dessa dor. Infelizmente, era muito difícil anular o decreto em questão, pois tinha sido promulgado com sua ordem, e possuía o carimbo do anel real; portanto era írrevogável.

Finalmente uma solução foi encontrada. Um novo edital foi publicado, avisando que Haman abusou da confiança do rei, proclamando decretos falsificados. Ao invés de declarar a supressão das perseguições aos judeus em todo território persa, a qual era a verdadeira intenção do rei, Haman, o traidor, tinha ordenado o extermínio de leais cidadãos. Além do mais, o enforcamento de Haman, sob ordem expressa do rei, era uma prova clara de que este desaprovava sua política.

Uma vez mais os escribas foram convocados para elaborar novos decretos que desta vez foram ditados pelo próprio Mordechai. Mensageiros reais montando os cavalos mais velozes do reino, dirigiram-se imediatamente a cada uma das 127 províncias do império persa, que se estendiam da índia até a Etiópia, para entregar os novos decretos aos governadores e respectivos príncipes.

Por ordem real, os judeus foram autorizados a se reunir no dia 13 de Adar para se defender, atacar e matar todos os inimigos que os ameaçavam.

A notícia espalhou-se rapidamente como um relâmpago até os recantos mais longínquos do império, e todos começaram a tratar os judeus com respeito.

No dia 13 de Adar, data na qual os judeus deveriam ser exterminados por Haman e suas forças, eles se reuniram nas praças públicas de cada cidade e vilarejo, condenando à morte, por ordem do rei, todos que tivessem demonstrado crueldade para com eles. Setenta e cinco mil homens, dispostos a atacá-los, foram condenados à morte, mais quinhentos em Shushan, como também os dez filhos de Haman.

Quando o rei deu a notícia a Ester, perguntou-lhe se agora ela estava satisfeita.

"Existem ainda em Shushan, numerosos e temíveis inimigos que não cessaram suas atividades e que devem ser exterminados se o país quiser viver em paz. Se o rei achar correto, o dia de amanhã será dedicado a julgar, em Shushan, os últimos inimigos dos judeus, pois eles são ao mesmo tempo os inimigos da humanidade. E é preciso igualmente pendurar os corpos-sem-vida dos filhos de Haman."

O pedido de Ester foi imediatamente atendido e, enquanto os judeus das outras cidades comemoravam e festejavam no dia 14 de Adar, os de Shushan estavam demasiadamente ocupados em condenar os inimigos. Eles então celebraram no dia seguinte, o grande dia da sua milagrosa salvação.

Assim foi decidido que o dia 14 de Adar seria escolhido como o dia da festa de Purim, em comemoração à milagrosa salvação do nosso povo e a queda do perverso Haman.

Em respeito à Terra de Israel que, naquela época jazia em ruínas, os Sábios instituíram que nas cidades cercadas por muralhas, Purim seria celebrado, como em Shushan, no dia 15 de Adar. Este dia é chamado de Shushan Purim, Os dois são dias de alegria e júbilo e, nesta ocasião, os judeus trocam Mishlôach Manot (presentes comestíveis), e os pobres recebem doações.

Ao mesmo tempo, os judeus decidiram que o dia 13 de Adar, véspera de Purim, seria um dia de jejum, chamado de "Jejum de Ester", em lembrança às rezas e jejuns realizados pelo povo todo por iniciativa da rainha Ester, que os levou ao arrependimento e fervor religioso, quando aceitaram, de bom grado, todos os mandamentos da Torá.

Nossos Sábios explicam que os dois dias de Purim serão comemorados eternamente, mesmo na Era Messiânica, quando outras festas serão anuladas.

Há 23 séculos, cada geração de judeus celebra todos os anos, a festa de Purim. Para os inimigos de Israel, para os "Hamans" de todos os tempos, esta comemoração é uma advertência solene. Para nós, esta maravilhosa festividade transmite inspiração, coragem e fé e fortifica nossa devoção e ligação ao nosso grande D'us misericordioso. Ela é, ao mesmo tempo, um sinal precursor e certo de nossa Redenção que não tardará a vir.

Fonte:www.pt.chabad.org

quarta-feira, 23 de março de 2016

Lasanha casher.

Queridas amigas, esta lasanha eu adaptei ao meu gosto,
 por tanto se alguns ingredientes não lhes forem bem quisto,
 podem mudarem. Mas dês que permaneça casher.

Ingredientes:

1 caixa de lasanha pré cozida
2 molho de tomate pomarola 
300 gr de muçarela 
queijo ralado (para cobrir)
1 lata de creme de leite
1 colher (de café) de nós moscada
tempero a seu gosto.

Modo de fazer:

Aqueça o molho de tomate, coloque a nós moscada, (tempere a seu gosto).
Eu coloquei cebolinha picada, salsa picada, sal, cebola ralada. Cozinhe um pouco o molho mexendo. Desligue o fogo e coloque o creme de leite, mexa. Unte a forma com azeite e vá colocando, molho, o macarrão, a muçarela etc... e por fim, coloque o queijo ralado por cima. cubra com papel alumínio e leve ao forno por 30 minutos.

Bom Apetite!!

segunda-feira, 21 de março de 2016

Três tipos de luzes.

Velas de Chanucá e de Shabat. Estes são dois tipos de luzes que desempenham um papel importante na vida judaica. Um terceiro tipo de luz significativa na vida judaica foi a Menorá de sete braços, acesa diariamente no Templo Sagrado em Jerusalém.

Seria interessante comparar as diferenças entre estes três tipos de luzes:

As velas de Shabat ficam orgulhosamente na mesa do Shabat. O lugar da Menorá do Templo também era interno, no santuário interior do Templo. Porém as luzes de Chanucá são acesas num local onde sua luz possa ser vista pelo lado de fora.

As velas de Shabat devem ser acesas antes do pôr-do-sol. A Menorá do Templo era acesa ainda mais cedo. Porém as luzes de Chanucá são acesas após o pôr-do-sol (exceto nas sextas-feiras, quando devem ser acendidas antes das luzes do Shabat, de modo a não profanar o Shabat). Finalmente, dos três tipos de luzes, somente a de Chanucá aumenta a cada dia.

A lição das luzes de Chanucá é múltipla, porém clara. Não basta iluminar a casa (como as velas de Shabat), ou mesmo a sinagoga ou escola judaica (como a Menorá do Templo) com o Judaísmo. Todo judeu tem a responsabilidade de ser uma luz brilhante para o exterior, no seu ambiente social e de trabalho.

Além disso, é especialmente quando já está escuro lá fora – depois do pôr-do-sol – quando as condições não são favoráveis, que devemos acender as luzes do Judaísmo. Naquela hora, em tempos como os nossos, não basta acender o mesmo número de luzes a cada vez, como na Menorá do Templo ou nas velas do Shabat. Devemos aumentar nossa luz, assim como as velas de Chanucá. Isso é feito por meio de um constante aumento em Torá e mitsvot.

terça-feira, 15 de março de 2016

SHABAT EM CASA OU NA SINAGOGA?

Texto Excelente e claro, desmentindo as falácias daqueles que querem afastar as pessoas dos caminhos do Eterno e cumprimento da Torá.
Essas pessoas pecam descumprindo as mitzvot do Eterno e levam outras a pecar. O Shabat é o melhor dia da semana e tem que ser celebrado na sinagoga, nos alegrando e alegrando O Eterno.
Que O Eterno Bendito Seja Ele, nos dê sempre sabedoria para fazermos as escolhas certas!!!
A CORRETA INTERPRETAÇÃO DO VERSÍCULO DE SHEMOT (ÊXODO) 16:29.
A Torah escrita nos ensina: “(...) FICAI CADA QUAL EM SEU LUGAR, NÃO SAIA NINGUÉM DE SEU LUGAR NO SÉTIMO DIA” (Fonte Torah Capa Azul Editora Sefer).

O grande ponto do versículo citado é captarmos qual é o conceito correto de “lugar”?
Aqueles que possuem o Sefer Hamitsvot, verão que esse versículo é o cerne da proibição de número 321, que diz: NÃO VIAJAR NO SHABAT.
Vejamos o que o Rambam de abençoada memória nos ensina: “A tradição fixa o limite além do qual é proibido ir em dois mil cúbitos ( = duas mil amá, cerca de 960m) ALÉM DOS LIMITES DA CIDADE, nem um cúbito a mais. É PERMITIDO IR DOIS MIL CÚBITOS EM QUALQUER DIREÇÃO. a mechiltá doz: ‘não saia ninguém de seu lugar’: isto é, além de dois mil cúbitos.”.
Com isso fica evidente que o termo “lugar” jamais pode ser interpretado como casa, até porque um dos princípios fundamentais do judaísmo é fazer as rezas com a presença de um minian (10 judeus acima de 13 anos de idade) em uma sinagoga.
A pergunta que poderia surgir é: e quanto a mim eu moro a mais de 960 metros além do limite da cidade onde fica minha sinagoga, melhor seria eu ficar em casa? A resposta é não, pois esse limite vale para as terras de Israel, onde graças ao Eterno o número de sinagogas espalhadas faz com que praticamente todos os yehudim (judeus), possam ir a pé às suas respectivas sinagogas, porém nós estamos na diáspora, e nem sempre é possível morar perto da sinagoga, assim os sábios explicam que sim é melhor se deslocar para a sinagoga com miniam do que ficar em casa sem miniam e correr o risco de se deixar levar pela assimilação.
Defender o Shabat em casa com este texto é o absurdo do absurdo. A palavra em hebraico é "Mimekomo", literalmente "do seu LUGAR" sem nenhuma referência a palavra Casa em hebraico (Bait ou usando a frase: sua casa: Beito). Esta interpretação equivocada afastaria as pessoas da comunidade judaica e da sinagoga, e seria um caos para a HISTÓRIA do Povo Judeu. Alguns sábios perguntam: Guardamos o Shabat ou o Shabat nos guarda? A reunião do povo judeu nas sinagogas no Shabat foram um dos aspectos fundamentaisl para preservação da Fé e do sentimento judaico. Acrescentando que existem rezas e procedimentos essências no shabat, onde é necessário um Minian na sinagoga. Só o fato de vermos a Torah sendo tirada do Aron Hakodesh já é algo extremamente significativo. É lastimável este tipo de "doutrina" ser sequer mencionado. Que o Eterno nos livre disto, e vamos a cada Shabat celebrarmos juntos esta Mitzva tão importante e que agrada tanto o ETERNO.
Fonte: Rafael Spena Braga.

quinta-feira, 10 de março de 2016

Acendimento de velas.


A responsabilidade de guardar o shabat vem acompanhada do acendimento de velas, segundo a tradição judaica e o Talmud, consta no Midrash que nossa matriarca Sarah, todos os inícios do Shabat acendia uma lamparina e de uma forma milagrosa essa luz era mantida durante uma semana ate o inicio do próximo shabat, quando Sarah morreu, Rivka continuou esta prática, quando foi levada na tenda de Sarah como destino de ser esposa de Isaac, a luz voltou a brilhar (Midrash Rabbah, Bereshit 60)!!
Está tradição é feita desde então, por 3700 anos!! O ato de acendimento de velas está interligado com as matriarcas!! Além disso, a interpretação que Moshe teve no monte Sinai, constatando em Shemot 35:3, especifica sobre o acendimento de velas, as refeições eram feitas no brilho das luzes que eram acendidas antes do shabat começar!! Depois do cativeiro da babilônia está prática tornou-se mais real entre os filhos de HaShem!!
Pelo fato da Torah oral ter sido estipulada pelo sinédrio e na Escritura consta que o Eterno escolheu entre o povo juízes para julgar (Devarim 16:18, Bamidbar 11:16), o sinédrio foi encarregado de manter e interpretar a Torah oral, e tem um mandamento que inclui esta responsabilidade!!

terça-feira, 8 de março de 2016

Nunca mude sua natureza.

Um oriental viu que um escorpião estava se afogando e decidiu tirá-lo da água. Quando o fez, o escorpião o picou. Pela reação de dor, o oriental o soltou e o animal caiu de novo na água e começou a se afogar de novo. O oriental tentou tirá-lo, e novamente o animal o picou. Alguém que estava observando aproximou-se do oriental e disse: "Desculpe- me, mas você é teimoso! Não entende que todas as vezes que tentar tirá-lo da água ele irá picá-lo?" O oriental respondeu: "Ele age de acordo com a sua natureza - a natureza do escorpião é picar - e isto não vai mudar a minha natureza, que é ajudar". Então, com a ajuda de uma folha, o oriental tirou o escorpião da água e salvou sua vida. Moral da história: Não mude sua natureza se alguém te faz algum mal. Apenas tome precauções.
Shalom sempre!!!                                         

   Hayme Fernandes.

Misericordia.

Ó Altíssimo e misericordioso D’us da bondade infinita.
Guardião das almas aflitas por descobrirem Teu amor verdadeiro.
Senhor de tudo que existe que é belo.
Salvador da raça humana que a cada dia que nasce nos revela a soberania do Teu reino.
Ó Eterno que nos revela todo o amor que somente um,  o D’us Único é capaz de amar grandemente Sua criação.
Meu coração anseia por trilhar Teus caminhos mesmo que meus pés se machuquem, todavia é do meu agrado seguir-Te com determinação e confiança em Tuas sagradas Leis.
A Torá é minha inspiração para ser o melhor que eu possa ser.
Ó Eterno minha vida pertence a Ti, está em Tuas mãos como a vida de Todos que nascem nos Reinos de Teus domínios.
Não sou capaz de caminhar só sem estar em Tua sagrada companhia.
Deleito-me em Teu amor assim como o sol beija a flor ao nascer do dia.
Tu és a razão do meu viver a luz que expulsa a escuridão da ignorância humana.
Na vastidão dos Teus domínios, ó Eterno, Tu nos assiste e nos conforta na fraqueza de nossas condições humanas.
Tu és a alegria que detona os sofrimentos de todos aqueles que Te amam.
Busque ao Eterno que somente Ele nos vivifica a alma e nos eleva a tal altitude que deixa os anjos com vertigens de olhar a elevação de nossas almas.
Ó Eterno, D’us soberanos dos filhos de Israel, dei-me um coração sempre temeroso ao Teu Santo Nome, que Tuas Leis me abriguem das chuvas da ganancia, da ignorância, da falta de amor ao meu semelhante e da angustia das noites escuras.
Sejas meu D’us, assim como sou Teu adorador.
Somente a Ti adoro como Único D’us e Senhor de minhas vontades.
Ó Eterno, Senhor meu, perfeito és na grandeza de Teu poder.
Ó Altíssimo em cada caminhar vejo a luz que emana de Ti, vou para Ti ao Teu encontro com a certeza que Tu me acolherás.
Tu és a maior riqueza que um judeu pode ter, Tuas promessas nos embalam e nos direcionam para o bem e para a paz.
Tua Divina revelação me enche de esperança e de potencial para encarar os obstáculos espinhosos de meu caminhar.
Sei que me ouvis, ó Eterno, sei  que me compreendes. Somente Tu és digno dos louvores dos filhos de Israel e das nações que reconhecem a Ti como o Único D’us verdadeiro.
Bendito seja Teu Nome para todo sempre, ó Eterno, meu D’us.

(Odiézio Moldes)

Bendito seja o Eterno, o D’us de Israel.

Judaísmo faz bem!

domingo, 6 de março de 2016

Ruthe

Ruthe, a companheira fiel

Ruthe era casada com o hebreu Malom e se dava muito bem com a sogra, Noemi. Quando ficou viúva, se apegou muito à sogra, a ponto de acompanhá-la até Belém. Lá, se casou com Boaz e reconstuiu sua vida.

- Principais virtudes
A amizade, a fidelidade, a dedicação e o desprendimento. Fez um dos mais lindos votos de amizade à sogra. Onde quer que pousares, ali pousarei. O teu povo é o meu povo, o teu D'us é o meu D'us (Rute 1:16).

- Características
 Amiga Tratava bem a todos e era muito carinhosa.
 Responsável Trabalhava em campos de cevada e nunca reclamava do trabalho, fazendo o melhor.
 Confiável Procurava ser honesta e íntegra nos afazeres diários. Tinha uma boa reputação e chamava a atenção dos chefes por isso.

- Seja como Ruthe
Ela era uma mulher muito doce e competente. Para agir como Ruthe, seja íntegra em tudo que fizer: trabalho, casamento e família.

Sarah

Sarah, a esposa perfeita

Esposa de Abraão, o primeiro dos patriarcas bíblicos. D'us prometeu a Abraão um filho que daria origem a todo o povo de Israel. Sarah foi a mulher escolhida para dar à luz essa criança. Ela era chamada de mãe de multidões e vista como o modelo ideal de mulher casada.

- Principais virtudes
Sarah era estéril e mostrou ter muita fé quando não desistiu de ter o filho que o Senhor lhe prometeu. Ela perseverou na crença e, aos 90 anos, deu à luz Isaque, que era o herdeiro da promessa feita a Abraão. Por isso, ela é a única mulher mencionada entre os heróis da fé (Hebreus 11:11), pessoas que exercem influência até hoje, como Moisés e Davi.

- Características
 Dedicada. O filho e o esposo sempre podiam contar com ela. Ela estava ao lado deles em qualquer situação. Acompanhava Abraão em todas as viagens.
 Fiel a D'us, Sarah não  desistia fácil das promessas  de D'us e procurava fazer as vontades dele.
 Alegre Ela recebia as pessoas em casa com felicidade e as servia com prazer.

- Seja como Sarah
Não desista nunca dos seus sonhos. Seja confiante em D'us e nas promessas dele.


Esther.

Esther, a corajosa

Foi a rainha mais importante que Israel já teve. Judia e órfã, ela foi criada por um parente. Quando se casou com o rei Assuero, Esther fez de tudo pelo povo judeu. Tem um livro na bíblia Hebraica que só fala dela.

- Principais virtudes
Esther descobriu um plano para exterminar todos os judeus. Ela se preparou espiritualmente com um jejum de três dias e orações. Ao final do período, Esther revelou ao rei que era judia e conseguiu salvar o povo.

- Características
 Sábia Diante de uma situação difícil ela não se desesperava: buscava soluções em D'us para tomar decisões.
 Destemida Não ficou com medo de agir para salvar os judeus. Era ousada e inteligente, e tinha uma fé admirável.
 Humilde Em vez de se mostrar a dona da razão, ela procurava respeitar a opinião dos outros.

- Seja como Esther
Não aja por impulso, procure sempre orar antes de tomar as suas decisões. Esther também era muito atenciosa.


Débora.

Débora, à frente do próprio tempo

Era uma dona-de-casa comum, mas foi escolhida para ser juíza. Foi a única mulher das escrituras sagradas a ocupar um cargo político com excelência. Ela se definia como "mãe de Israel e fazia de tudo para o bem da nação (Juízes 4:4-16).

- Principais virtudes
Débora era bastante virtuosa: mãe de família, profeta, temente a Deus e líder militar. Traçou estratégias de batalha e conquistou muitas vitórias para Israel na época dos juízes. Foi a libertadora do povo hebreu em tempos de guerra contra os cananeus.

- Características
 Líder Ela não se intimidou por ser mulher e ganhou o respeito dos líderes de Israel.
 Estrategista Débora sempre buscava maneiras de combater os inimigos buscando inspiração junto ao Senhor e, por isso, tinha êxito em tudo que fazia.
 Conselheira Era preocupada com as pessoas e sempre dava conselhos, discutindo e sugerindo soluções para quem estava com problemas.

- Seja como Débora
Ela é a prova de que uma mulher pode ser profissional e dona-de-casa ao mesmo tempo. Para imitá-la, procure ser atenciosa e justa. Administre bem o seu tempo e não tome decisões sem antes planejar tudo direitinho.


quarta-feira, 2 de março de 2016

Sabedoria Judaica.

A verdadeira origem da Terra

O Rabi Shimon ensinava:


Quando o Santíssimo-bendito seja-criou o homem,
entre os anjos formaram-se diversos grupos e partidos,
que passaram a discutir a Criação.


Uns diziam:
-O homem deve ser criado.

O amor disse:
-Ele deve ser criado, porque professará o amor.


A verdade disse:
-Não deve ser criado, porque sera pleno de mentiras.


A justiça disse:
-Deve ser criado, porque agira com justiça.


A paz disse:

-Não deve ser criado, porque será pleno de impaciência e discórdia.

Então, o Santíssimo-bendito seja-pegou a verdade e jogou-a sobre a terra.

E os anjos perguntaram ao Santíssimo-bendito seja:
-Senhor do mundo! Mas a verdade é o teu segredo!
Como podes desprezá-la? Por que não levantá-la outra vez?


-Porque está escrito (Salmos 85:12):'' Da terra brotará a liberdade, desde
o céu há de olhar a justiça.''


O Rav Huna,mestre de Seforis, acrescentou:
-Enquanto os anjos de D'us ainda discutiam, o Santíssimo-bendito seja
- criou o homem. E disse aos anjos: Por que continuam discutindo?
O homem já está criado.

(Gênesis Rabá 8:5,ed.Theodor-Albeck,p.60)

O que da se Recebe.

queridos amigos!!

Tudo o que fizermos nessa vida para os outros de bem ou de mal volta
para nós. Por isso, façamos o bem, pensemos sempre no que vamos fazer
para que possamos ter um bom retorno.
No dia de hoje trago uma mensagem para refletirmos sobre os ecos da vida.

Reflitam!!   


Filho e pai caminhavam por uma montanha. 

De repente, o menino cai, machuca-se e grita:
- Ai!
Para sua surpresa, escuta sua voz se repetindo em algum lugar da montanha:
- Ai!
Curioso, o menino pergunta:
- Quem é você?
Recebe como resposta:
- Quem é você?
Contrariado, grita:
- Seu covarde!
Escuta como resposta:
- Seu covarde!
O menino olha para o pai e pergunta, aflito:
- O que é isso?
O pai sorri e diz:
- Meu filho, preste atenção.
Então o pai grita em direção à montanha:
- Eu admiro você!
A voz responde:
- Eu admiro você!
De novo, o homem grita:
- Você é um campeão!
A voz responde:
- Você é um campeão!


O menino fica espantado, não entende, e o pai explica:
- As pessoas chamam isso de eco, mas na verdade, isso é a vida.
A vida lhe dá de volta tudo o que você diz, tudo o que você deseja de
bem e mal aos outros. A vida lhe devolverá toda blasfêmia, inveja,
incompreensão e falta de honestidade que você desejou e praguejou às
pessoas que o cercam. Nossa vida é simplesmente o reflexo das nossas
ações.
Se você quer mais amor, compreensão, sucesso, harmonia e fidelidade,
crie mais amor, compreensão e harmonia no seu coração. Se agir assim, a
vida lhe dará felicidade, sucesso e o amor das pessoas que o cercam.



É amigos!! 


Se queremos mais amor, mais paz, mais felicidade, temos que
plantar tudo isso para receber. Sempre haja como gostaria que as pessoas
agissem com você. Como diz na mensagem nossa vida é o reflexo de como
agimos. E vocês como estão os ecos de sua vida?


Shalom Shalom.

Amidá – A Grande Oração

Amidá é a Oração Central da Liturgia Judaica. A palavra significa "estar de pé", visto que se diz a oração de pé, olhando na direção de Jerusalém. Também é comumente chamada de Shmonê Esrei (dezoito, em hebraico), por conter inicialmente dezoito orações. Mais tarde, os Rabinos decretaram a inclusão de uma décima nona oração para que os Cristãos Primitivos infiltrados nas Sinagogas não pudessem recita-la já que a décima nona oração seria contrária a seu credo, mas o nome acabou permanecendo como dezoito.
A inclusão da 19ª. Brachá (benção) teria sido feita na Babilônia, no século III E.C, pela divisão de uma das orações em duas (David que construiu Jerusalém e David precursor do Messias).

Shemonê Esrê 
– Amidá – A Grande Oração

Ó Senhor, abre os meus lábios e minha boca proclamará o Louvor a Ti!

1ª Benção 


- Benção dos Patriarcas

Bendito sejas Tu, Eterno, nosso D-us e D-us de nossos pais; D-us de Abraão, D-us de Isaac e D-us de Jacob, o Grande, o Poderoso e Temível D-us; Altíssimo D-us que outorga bondades, que tudo cria e que recorda os atos de bondade dos Patriarcas e que contra grande amor fará vir um Redentor aos filhos de seus filhos, por amor do Seus nome. Ó Rei, Auxiliador, Salvador e Escudo! Bendito sejas Tu, Eterno, Escudo de Abraão

2ª Benção 


- Benção do Todo-Poderoso

Tu, Eterno, és Poderoso para sempre; Tu ressuscitas os mortos; Tu és Poderoso para salvar. (Tu fazes soprar o vento e cair a chuva). Tu sustentas os vivos com amorosa bondade, Tu ressuscitas os mortos com imensa misericórdia, amparas os que estão caindo, cura os doentes, libertas os cativos e cumpres a Tua promessa aos que dormem no pó. Quem é como Tu, ó Poderoso?

3ª Benção


 - Benção da Santificação de D-us

Tu és santo e Teu Nome é santo; e seres santos Te louvam diariamente por toda a eternidade. Bendito sejas Tu, Eterno, D-us santo.

4ª Benção


 - Benção da Sabedoria

Tu graciosamente dás o conhecimento ao homem e ensinas aos mortais a compreensão. Concede-nos, graciosamente, de Ti, sabedoria, compreensão e conhecimento. Bendito sejas Tu, Eterno, que dás graciosamente o conhecimento.

5ª Benção 


- Benção do Arrependimento

Faze-nos retornar, nosso Pai, à Tua Torá; aproxima-nos, nosso Rei, do Teu serviço e traze-nos de volta a Ti com arrependimento de todo coração. Bendito sejas Tu, Eterno, que desejas a penitência. (Teshuvá)

6ª Benção 


- Benção do Perdão

Perdoa-nos, nosso Pai, pois temos pecado; redime-nos, nosso Rei, pois temos transgredido; pois Tu és um D-us bom e que desculpa. Bendito sejas Tu, Eterno, clemente que perdoa em abundância.

7ª Benção


 - Benção da Redenção

Observa, por favor, nossa aflição e trava nossa batalha; redime-nos rapidamente pelo Teu Nome, pois Tu és poderoso D-us redentor. Bendito sejas Tu, Eterno, Redentor de Israel.

8ª Benção


 - Benção da Cura

Cura-nos, Eterno, e seremos curados, salva-nos e seremos salvos; pois Tu é o nosso louvor. Concede cura e remédio total a todas as nossas feridas; pois Tu, Rei Todo-Poderoso, és Aquele que cura, fidedigno e misericordioso. Bendito sejas Tu, Eterno, que cura os enfermos de Teu Povo Israel.

9ª Benção 


- Benção do Sustento

Abençoa para nós, Eterno, nosso D-us, este ano e toda a variedade de sua colheita para o bem; e outorga (no Verão Boreal): ‘bênção’, (ou no Inverno Boreal); ‘orvalho e chuva para benção sobre a face da terra. Sacia-nos com a Tua bondade e abençoa nosso ano como outros bons anos para benção; pois Tu és um D-us generoso que outorga bondade e abençoa os anos. Bendito sejas Tu, Eterno, que abençoa os anos.

10ª Benção 


- Benção da Reunião da Diáspora

Fazer soar o grande shofar para a nossa liberdade; ergue um estandarte para reunir os nossos exilados e recolhe-nos dos quatro cantos do mundo para a nossa terra. Bendito sejas Tu, Eterno, que reúne os dispersos (os exilados) do Seu povo Israel

11ª Benção


 - Benção do Retorno à Justiça

Restaura nossos juízes como outorga e nossos conselheiros com em tempos antigos; remove de nós tristeza e suspiro e reina sobre nós, Tu somente, Eterno, com bondade e compaixão, com retidão e justiça. Bendito sejas Tu, Eterno, Rei que ama retidão e justiça.

12ª Benção


 - Benção contra os Hereges

Que não haja esperança para os delatores e que todos os hereges e todos os perversos pereçam instantaneamente; que todos os inimigos de Teu Povo sejam rapidamente extirpados e que desarraigues, quebres, esmagues e subjugues o reinado da iniquidade rapidamente em nossos dias. Bendito sejas Tu, Eterno, que quebra os inimigos e subjuga os iníquos

13ª Benção 


- Benção dos Justos

Que se despertem Tuas misericórdias, Eterno, nosso D-us, para os justos, devotos e anciãos de Teu povo, a Casa de Israel, para os remanescentes de seus sábios, justos prosélitos (convertidos) e para nós. Concede ampla recompensa a todos que verdadeiramente confiam em Teu nome, e coloca nosso destino junto a eles; que jamais sejamos envergonhados, pois depositamos confiança em Ti. Bendito sejas Tu, Eterno, suporte e segurança dos justos

14ª Benção


 - Benção da Reconstrução de Jerusalém

E retorna com misericórdia a Jerusalém, Tua cidade, e mora nela como Tu prometeste; estabelece rapidamente o trono de David, Teu servo, e a reconstrói, breve em nossos dias, como uma edificação eterna. Bendito sejas Tu, Eterno, que reconstrói Jerusalém

15ª Benção


 - Benção do Messias, Filho de David

Faz o rebento de David, Teu servo, florescer rapidamente e aumenta o seu poder através de Tua salvação, pois por Tua salvação ansiamos todo o dia. Bendito sejas Tu, Eterno, que faz florescer o poder da salvação

16ª Benção


 - Benção "Ouve as Orações"

Ouve nossa voz, Eterno, nosso D-us; misericordioso Pai, tem compaixão de nós e aceita nossas preces com misericórdia e favor, pois Tu és D-us que ouve as preces e as súplicas; não nos despeças de Ti de mãos vazias, nosso Rei, pois Tu escutas as preces de todos. Bendito sejas Tu, Eterno, que ouve a prece

17ª Benção


 - Benção do Serviço

Observa favoravelmente, Eterno, nosso D-us, Teu povo Israel a atende sua prece; restaura o serviço ao Teu Santuário e aceita com amor e favor as oferendas de fogo (sacrifícios) de Israel e suas preces; e que o serviço de Teu Povo Israel seja sempre bem aceito. Que nossos olhos possam ver Teu retorno a Tsion misericordiosamente. Bendito sejas Tu, Eterno, que restaura Tua Presença Divina a Tsion

18ª Benção 


- Benção de Louvor

Reconhecemos com gratidão que Tu és o Eterno, nosso D-us e o D-us de nossos pais, para todo sempre. És a força de nossa vida, o escudo de nossa salvação em toda geração. Te agradeceremos e relataremos Teu louvar à noite, de manhã e ao meio-dia, por nossas vidas que estão entregues a Tua mão, por nossas almas que estão depositadas em Ti, por Teus milagres que estão conosco diariamente e por Tuas maravilhas e benevolências a todo momento. Tu és Bom, pois Tuas misericórdias nunca cessam; e és o Misericordioso, pois Tuas bondades jamais terminam; porque sempre depositamos nossa esperança em Ti. E, por tudo isto, que Teu Nome, nosso Rei, seja abençoado, exaltado e enaltecido, por toda a eternidade. E que todos os seres vivos Te agradeçam para sempre e louvem Teu grande Nome eternamente, pois Tu és bom. Eterno, Tu és nossa salvação e ajuda perpétua, ó Senhor benevolente. Bendito sejas Tu, Eterno, Benéfico é Teu Nome e a Ti é adequado agradecer.

19ª Benção da Paz

Conceda a paz, bem-estar, benção, graça, bondade e misericórdia para nós, e a todo o Israel, teu povo. Abençoa-nos, ó nosso Pai, mesmo todos nós juntos, com a luz da tua face, pois, à luz de Seu semblante deu-nos, ó Eterno nosso D'us, a Torá da vida benignidade, e justiça, bênção, vida a misericórdia e a paz, e o meu seja bom aos teus olhos para abençoar o teu povo Israel em todos os momentos e em todas as horas com a tua paz.

Bendito és Tu, ó Eterno, que abençoa o teu povo Israel com paz.