domingo, 27 de novembro de 2016

Troca de nomes.

Por que trocamos os nomes na cultura e religião Judaica?

Com toda certeza não é por uma questão estética ou outra intenção qualquer. A única intenção diz respeito a santificação(Kadosh). Tiremos como exemplo a segunda esposa de Abraão Avinu.

Sabe-se que os nomes da Torá têm um significado simbólico e  Espiritual. 
Assim Avram tornou-se Avraham,
no caso de Ketura, (Bereshit-Genesis 24.1) anteriormente chamada de Agar, o que provocou a mudança no nome, era que ela tinha finalmente abandonaram suas crenças idólatras e hábitos imorais, para se tornar uma líder de um grupo de seguidores de Avraham e Noach, então o seu nome egípcio antigo  não tinha razão de ser, e com isso uma nova identificação se fez necessária passando então a ter um novo sentido como foi identificado com o seu novo nome,   "Ketura" que significa "junto ao Eterno."

Hoje muitas vezes nós procedemos da mesma forma com as pessoas, sendo gentios nascidos, que se convertem ao judaismo que se tornam pessoas judaicas para todos os efeitos legais, não são chamados pelo nome antigo, mas pelo nome adotado na época da sua conversão formal e espiritual ao Judaísmo.

"Agar" não era uma convertida ao judaísmo, porque não existia judaismo naquela época, mas tornou-se uma mulher "junto ao Eterno", fiel e, assim, passou a ser chamada e  conhecida como Ketura. Que não se troque o nome por vaidade, porque se não muda totalmente seus hábitos e se mantém com vínculos de hipocrisia e escândalo, então ao invés de bênçãos, trará  para si maldição para sua vida.


Nenhum comentário:

Postar um comentário