quinta-feira, 16 de março de 2017

Hanna.

Hana era esposa de Elkaná, um israelense da tribo de Efraim, que também tinha uma segunda esposa, Peniná. Na ocasião da ida da família a Shiló para apresentar sacrifícios, vemos que Elkaná dá uma porção a Peniná e seus filhos com ela, e a Hana ele dá uma porção dobrada. O favoritismo dele por Hana fica evidente, e ecoa a situação de Yaakov, Leá e Rahel. Assim como Rahel era a preferida de Yaakov e foi inicialmente estéril, também o mesmo de repete entre Elkaná e Hana. Como elas já possuíam o amor do marido, por assim dizer, se elas também tivessem filhos logo de imediato isso faria com que a segunda esposa ficasse extremamente desprezada aos olhos do marido - uma injustiça, inaceitável perante D'us. Devido a tal situação, D'us usa os méritos das rezas de Hana e então a atende, quando esta promete dedicar seu filho à Torá caso D'us lhe conceda um filho. Hana queria cumprir com aquilo que é a essência de toda mulher, gerar filhos e educá-los para a Torá e mandamentos. Sua oração foi provavelmente uma das mais sincera já feitas na História, haja visto que a forma que ela rezou - em voz baixa, quase muda - é a base da Halachá para a prece da Amidá, recitada três vezes ao dia. E, assim como Ele atendeu à prece de Hana, que Ele lembre dos méritos dela durante a reza que fazemos imitando-a e nos responda.

Por Gabriel Abensur

Nenhum comentário:

Postar um comentário